21 de set de 2015

Reflexão Bully.

Olá amigos. Recentemente li um post polêmico no facebook sobre um texto que eu havia escrito no blog em março de 2012 sobre o Mr. Miagi. Bom, eu conheci os american bullies em 2006/2007. Assim como muitos, me encantei! Resolvi então pesquisar sobre a raça e percebi que as fontes disponíveis eram americanas e bem escassas. Na época as informações vinham de fóruns como Bully Club e American Bully World. Não achava nada em português. Foi aí que pensei em compartilhar o que eu havia pesquisado até aquele momento e assim surgiu, em 2008, o blog BULLYNESCO. 
Até então, com exceção da parte médica veterinária, tudo o que eu sabia em relação aos american bullies vinha da internet. Era o famoso "formador de opinião google" rs. As principais linhas de sangue da época eram Razor's Edge (RE) e Gottiline Old School. Apesar de gostar de alguns cães da Gottiline, pelo fato de ser Veterinário, eu era adepto da corrente mais tradicional do Dave Wilson (fundador da RE) tendo em vista o fenótipo mais correto que apresentavam os cães dessa linha. Levava em consideração a morfologia que mais favorecia a saúde dos cães. Até aí tudo bem. Estava tudo sobre controle. Enquanto a RE mantinha cães com fenótipos mais corretos, a Gottiline mantinha cães maiores e mais abuldogados. Contudo, eis que de repente, surge um cão chamado DAX. De início eu olhei e confesso que fiquei sem reação, sem saber direito o que era aquilo. Aos poucos fui me acostumando e fiquei aguardando o que ele iria produzir. À medida que sua prole ia surgindo, me tornei fã do dog! Em seguida surgiu Mr. Miagi. Outro susto! Porém, logo de cara achei aquele fenótipo bizarro! Cães exóticos, pequenos e tortos! Muito fora do conceito que eu tinha como aceitável para um american bully. Fiquei receoso daquele cão destruir a raça que eu tanto gostava. Enfim, não me restava outra saída se não alertar os leitores do blog sobre os defeitos dele e o que ele poderia transmitir de ruim à sua prole. E assim foi feito. Confesso que fui um tanto quanto precipitado, porém, infelizmente, me faltava maturidade como criador à época. Foquei no que seria negativo, sem levar em consideração o que poderia vir de positivo. 
Os primeiros bullies que vi ao vivo foram cães do colega Fábio Lacerda, pioneiro da raça aqui em Brasília. Creio que foi em 2010/11. Eram cães vindos do canil BULLY MAKER - RS e Red Scout - SP. Apresentavam um fenótipo da RE. Em 2013 dei início, juntamente com Ubiratan Jr (Bira Bullies), na criação de American Bullies. Bira já tinha importado da Califórnia (USA) a Zenstyles Flor de Lotus e Zenstyles Odin. Ambos vieram do Canil Zenstyle, donos dos famosos Pokemon e Fonzi. Logo depois resolvemos importar, também dos USA, Muscletone's MzMagoo, filha do grande Mr MAGOO. Depois importamos o Cyborg Bullies' KOSMOS e o Daxline's JESSE JAMES. Esses cães deram o start para o BIRA & RHONA BULLIES KENNELS. Desde então, visitei vários criadores pelo Brasil e fui aos principais encontros da raça. Pude ver cães de diversas linhagens e fenótipos. 
Ao longo desses poucos anos, muitos dos meus conceitos mudaram. Tudo muda quando você deixa de ser um "criador google" ou "formador de opinião google" e passa a VIVENCIAR a coisa! Penso que dei uma boa amadurecida enquanto observador e manejador de american bullies. Isso me fez reconhecer o mérito de alguns criadores e de cães antes criticados por mim. O american bully de hoje apresenta várias vertentes. Não há como negar que atualmente prevalece o gosto pessoal! Não existe mais aquele radicalismo conceitual de quando a raça surgiu! A diversidade de fenótipos é imensa, se perdeu qualquer controle! Isso tem o lado negativo, mas também tem o positivo. Hoje enxergo cada indivíduo como uma ferramenta que pode ser utilizada de acordo com o que se busca para um plantel. Seja DAX, Miagi, Toad, Mikeland...alguma delas pode servir em algum momento! 
Outro grande aprendizado foi o de falar menos e tentar produzir mais! Por essa e por outras, parei de escrever para o blog com a frequência que fazia. Vejo no facebook que as pessoas tem se preocupado com assuntos sem muita relevância! Enfim, as polêmicas são inevitáveis e sempre existirão! Basta saber filtrar o que acrescenta. Enquanto isso, procuro ter um plantel pequeno, porém diferenciado, e continuar com as parcerias que fortalecem! 
Abraço, Rhona.